domingo, 5 de dezembro de 2010

Voamos rumo ao céu!




Voo

Dentro
do teu olhar
que me acolhe!

Tocas-me
a alma com doçura.

Deixas
que as nossas asas
se unam num voo apenas.

Sobrevoamos
agora melhor
as tempestades
do lado de fora...

A ousadia
com que voamos
leva-nos
ao mais profundo de nós,
para alcançar
com o saber
o caminho acima
das tempestades,
submergindo-as.

Voamos rumo ao céu,
nesta paz infinita
rompemos o véu
para lá do azul!

Ficamos ali a namorar
nas cadeiras de veludo
do céu
para lá das nuvens,
a brisa do trono
sossega-nos.

O som
das Harpas,
inebria-nos.

Voamos
dentro da melodia,
que nos entontece
e assim,
acontece esta passagem
para o lá de lá,
aonde Deus habita.

Carregamos
as promessas
sorrindo,
vestimos a alma
com a voz do céu.

Com
o pensamento,
derramamos
sobre o mundo,
um querer profundo,
para que a esperança
seja uma semente
que se agigante,
sem que doa a alma,
porque para além do céu,
a vida será calma.

A liberdade
faz-nos acreditar
que nas águas cristalinas
que descem do trono,
nos podemos banhar.

Voamos
e ninguém nos alcança
nesta dança.
Bailamos pelo céu,
e ansiamos voltar
para contar
como aconteceu!


Voamos
e é nesta ousadia
que me uno a ti
e por fim
o mundo voa
aos pares
e num círculo
aos milhares
todos encostam as asas
formando uma aliança
cheia de confiança.
e passam a acreditar
na esperança,
que abre a porta do céu
te dá asas para voar
e o limite é o sonho.

Voa!

Alice Barros



[....]


Hoje sinto-me voando
por aí...
percorro sítios
-numa núvem de amor-
Onde haja vida real
para evitar
que me mostrem
um outro Mundo
que seria o ideal,
mas para os “donos”
não convém
e assim tudo continua:
“quanto pior...melhor”!

Com esta nuvém de amor
vi o bastante
para juntar outras nuvéns
e encher o Céu
de estrelas cintilantes
a iluminar-nos com amor!

Hoje voei eu e tu(LI),
Amanhã voarão muitos...!

José Manuel Brazão

Sem comentários:

Enviar um comentário