sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Vontades


Ah! Vontades do que não se pode ter.
Vontade tão simples... Queria tanto te ver.
Vontade de sentir seus lábios, de te beijar.
Vontade de estar ao seu lado, de te abraçar.




Não dá para ficar só nas vontades.
Adoraria estar contigo, nesta noite chuvosa...


Graciele Gessner




[...]


Amo-te
e sempre te amarei!


Somos
um para o outro!
Tu mulher de paixão
eu suando amor,
dá um grande amor!


Vivemos este amor
em nossos silêncios,
com sofrimentos,
com lutas interiores,
mas com corações
entregues a este amor,
arrebatador,
lindo e profundo.


Sofres muito
por mim.
Vês duas gaivotas a voar
e acenas para a favorita!
Já posou
muitas vezes no teu ombro
e tu choravas
por tanto carinho
e por não a levares contigo.


Sabias
que ela voltaria
todos os dias,
à mesma hora
e aparecia a tua alegria
dum amor vivido,
conquistado
mas dividido!


Continuamos
os nossos silêncios,
a nossa cumplicidade,
sempre com saudade,
até ao momento
em que este amor;
será eterno amor …
pela noite!


José Manuel Brazão

_ _

Sem comentários:

Enviar um comentário