sábado, 13 de novembro de 2010

Um amor inacabado





Bela e formosa
na juventude,
provocaste
paixões e amores,
onde viveste
um grande amor!

Mulher
feita ingénua,
deste
e pouco recebeste!

Chegou a hora
da tua desilusão;
desse amor
ficou o teu coração
em pedaços,
os teus braços caídos!

O tempo passou…

… mas ficou a chama,
essa chama,
que te aquece a alma.

Tens marcas dessa paixão
e amor,
que nunca sararam
e por ti
passam imagens
nebulosas
e dolorosas,
mas outras
Enfim…
de rara beleza!

Segues o teu caminho
com a honra
e a dignidade
que não te envergonham,
dum amor inacabado!

José Manuel Brazão


_ _

Sem comentários:

Enviar um comentário