quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Noite de amor







Aperto os seios flamantes,
calo o sexo entre as pernas,
pra abafar meus gritos de desejo.

Então você ouve meus apelos
e vem em sonhos curar a minha febre,
calar meus gemidos,
tomar meus sentidos,
e finalmente adormeço,
enquanto meus poros
sussuram seu nome
como uma prece.


Sandra Freitas




[....]




Olhei teu corpo,
senti teus apelos;
os teus poros
como chamando por mim.


Senti o teu desejo
nesse corpo
em posição de entrega.
Sono agitado, mas
abrindo teus olhos
de braços abertos
recebeste meu corpo
e não mais calaste teu sexo!


José Manuel Brazão























_ _

Sem comentários:

Enviar um comentário