quarta-feira, 17 de novembro de 2010

De mãos dadas



Passa o tempo
e nós
sempre juntos,
sempre unidos
para o bem,
e para o pior,
solidários, solitários …

Não te deixo,
não me deixas.
Nossos corações batem,
cada vez:
que penso em ti
e tu pensas em mim!

Estendemos as mãos
para nos aproximarmos.
Puxam nossos corpos,
mas não conseguem!
O nosso amor
é superior!
Estaremos Aqui ou Além,
como sempre
de mãos dadas!

José Manuel Brazão

Um poema que nasceu como um desejo meu e que tu tão bem o tens realizado. Levarei comigo pensando em ti e tu nas voltas que a Vida dá, guarda-o no teu coração de Mulher bem iluminada!
Beijo do ZÉ


http://refugiodasemocoes.blogspot.com/

_ _

Sem comentários:

Enviar um comentário