terça-feira, 26 de outubro de 2010

Afectos


Onde estão?
Parecem perdidos,
por onde andarão?

Eu tenho os meus
e dou,
dou ao próximo
sem pedir nada.

Por isso os procuro
e não encontro.
Neste desencontro,
paro e penso:
não os mereço?

Com esperança
vejo uma Luz
e agradeço:
são afectos os que recebi …

José Manuel Brazão

__ _

Sem comentários:

Enviar um comentário