sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Pobre Poeta do amanhã!


Escreve
como se sonhasse,
se vivesse
num mundo de encanto,
de ternura e amor!

Escreve
para alimentar a alma
de quem o lê,
recebendo
gestos de amor!

Escreve poemas
para aliviar os dilemas;
os seus
e dos outros…

Se não escrever,
morrerá a alma do Poeta,
ficando apenas:
um homem,
uma vida
e um pobre Poeta
agonizante…

Apagam-se as luzes…
Mas ficou a honra
e os seus poemas!

José Manuel Brazão





MusicPlaylistRingtones
Create a MySpace Music Playlist at MixPod.com

Sem comentários:

Enviar um comentário