domingo, 25 de julho de 2010

Sonhar acordado


Então pensei: “Deixe sonhar, acreditando ser o todo soberano”. Jamais acredito no que ouço, até que se prove. Ressalvo apenas que fico com as minhas desconfianças, corro atrás para solucioná-las.

Sonho acordada porque sei perfeitamente o momento de tirar as minhas dúvidas. Dou a corda para se enforcar, mesmo que não pareça. Às vezes os olhos tornam-se o advogado acusador, ou então, da absolvição.

Abra os olhos, tire o véu... Acorde, menina! Tudo gira ao seu redor, mesmo que por vezes não seja visível, mas está ali... Bem na frente do nariz.

Graciele Gessner



[...]


Sonho,
sonho muito..
mas acordado!
Vejo as pessoas,
observo-as,
falo com elas:
gosto (quase) de todas!
Passa o tempo,
vamos encontrando
aqui e ali,
ilusões e desilusões,
amizades
e infidelidades,
amores e rancores.
Não me revejo
neste mundo!
Resta-me o das crianças:
o novo mundo!

E agora?

Só sonho, dormindo...

José Manuel Brazão

Sem comentários:

Enviar um comentário